Quem somos

Os caminhos destes três amigos cruzaram-se num ponto em comum, a Efacec, com cerca de quinze anos de trabalho em equipa, a amizade e a paixão pelo desporto e pela natureza, fez com que nascessem novas ideias e projetos.

Ângelo Guimarães

Desde cedo que foi um amante de desporto, durante o percurso estudantil, praticou diversos desportos coletivos e individuais como voleibol ou badminton, mas foi o andebol que praticou mais tempo, chegando mesmo a participar em torneios internacionais.

Quando chega à Efacec em 2009, e devido à incompatibilidade de horários teve de deixar o andebol para trás, mas não foi por causa disso que abandonou o desporto. Rapidamente encontrou uma nova paixão, o ciclismo, através da ADEFACEC, onde orientou a equipa de 2012 a 2018, tendo feito os mais míticos percursos do nosso país, como Porto - Lisboa, a Serra da Estrela ou a Sra da Graça, bem como é presença assídua nos principais granfoundos nacionais, tendo no palmarés mais de 20.000km de bicicleta.

Fábio Rodrigues

As bicicletas sempre fizeram parte da sua infância. Criado nos anos 80 e 90, o BTT foi o seu primeiro contacto com a modalidade.
A sua formação tem como base o marketing e vendas, mas quis o destino que radicalmente mudasse de área.
Em 2008, inicia a sua atividade profissional na Efacec, estando atualmente a desempenhar funções como técnico de laboratório na Hitachi.
É com a ADEFACEC que cimenta o gosto pelo ciclismo de estrada. Atualmente a residir na Trofa, participa e organiza eventos como o Raid da Trofa, o Urban Race e o passeio de bicicletas antigas da Trofa, gerindo também a equipa de BTT Sharks Bike Team Trofa. 

Hélder Teixeira

Desde sempre ligado ao desporto e à natureza, foi no escutismo que adquiriu as competências que o tornam num líder e naturalista de excelência.

Durante o período que pertenceu ao corpo nacional de escuteiros, liderou e organizou eventos em todo o território nacional e em alguns países europeus.

Na Efacec desde 2006, aqui através da Associação desportiva da Efacec (ADEFACEC), participou em inúmeras atividades de desportos radicais e individuais.

Foi por brincadeira que aceitou o desafio de participar em algumas provas de ciclismo, como alguns granfoundos e fazer uma clássica que o levou até ao ponto mais alto de Portugal Continental.